O Papa Francisco voltou a pedir nesta quarta-feira (8) orações pelas populações afetadas pelas guerras em todo o mundo, incluindo Ucrânia, Israel e Gaza.

“Pensamos e rezemos pelos povos que sofrem com a guerra. Não esqueçamos a atormentada Ucrânia e pensemos no povo palestino e israelense”, declarou ele, durante audiência geral no Vaticano.

Francisco fez um apelo para que “o Senhor nos conduza a uma paz justa”, porque esses conflitos provocam “muito sofrimento”.

Em sua saudação aos peregrinos italianos presentes na Praça São Pedro, o líder da Igreja Católica pediu insistentemente por paz, enfatizando que as crianças, os doentes e os idosos sofrem, e muitos jovens morrem.

“Não nos esqueçamos de que a guerra é sempre uma derrota”, acrescentou.

Já durante sua bênção aos fiéis de língua árabe, Francisco invocou proteção “contra todo o mal” e pediu ao “Senhor Jesus”, em particular, “a coragem de agir com todos aqueles que trabalham na terra para libertá-la do mal e restaurá-la à sua bondade original”.

O novo apelo do Santo Padre é feito um dia após o conflito entre Israel e o grupo fundamentalista islâmico Hamas completar um mês, com mais de 11 mil mortes – entre israelenses e palestinos.

Desde o início da guerra, em 7 de outubro, Jorge Bergoglio tem se pronunciado semanalmente pedindo por paz no Oriente Médio e chegou a conversar com o presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas, para destacar a urgência de promover assistência humanitária e um cessar-fogo na região.

Já sobre o conflito entre Rússia e Ucrânia, ele tentou se envolver pessoalmente em mediações entre as partes, mas encontrou resistência nos dois países e acabou designando um enviado especial, o cardeal italiano Matteo Zuppi, para tentar encontrar brechas para o diálogo em Moscou e Kiev.

 

Fonte: ANSA
Foto: Vatican News