Uma mulher de 99 anos ganhou seu 100º bisneto, um recém-nascido que aumentou a extensa lista de membros da numerosa família. A felizarda é Marguerite Koller, que vive em Blue Bell, na Pensilvânia (EUA).

A idosa, também apelidada de Peg, contou sobre o grande acontecimento ao programa “Good Morning America”, da NBC. Segundo ela, a chegada do novo bebê deixou a família inteira em “êxtase”.

Marguerite Koller disse que ter uma casa cheia de filhos e netos é uma das maiores alegrias de sua vida, no entanto esse momento não teria existido se tivesse tomado outro rumo em sua juventude. A idosa contou que durante a adolescência se preparou para se tornar freira, na década de 1940. Ela chegou a se candidatar para iniciar a vida religiosa e foi aceita em um convento na Filadélfia.

Contudo, seu destino seguiu outro caminho quando conheceu William, por quem se apaixonou. Os dois se casaram e, anos depois, tiveram nada menos que 11 filhos juntos.

A idosa explicou que desejou ter uma família grande porque se sentia solitária quando criança, já que era filha única. Mesmo assim, não imaginou que seria mãe de tantas crianças.

“Achei que queria 12, mas depois que comecei a tê-los, não tinha certeza se queria tantos”.

Quando a maioria deles havia alcançado a fase adulta, Marguerite já tinha dado boas-vindas a 56 netos. E os novos integrantes da família Koller passaram a ser os filhos desses netos.

Entretanto, ela acompanhou essa transformação sozinha, pois perdeu o marido em 2008.

 

Motivo de realização

Agora com 99 anos, a bisavó se orgulha da família numerosa que construiu e acredita que a quantidade de membros ainda tende a crescer. Em entrevista à NBC, Christine Balster, que faz parte do grupo de netos de Marguerite, contou que os momentos com a família inteira reunida são bastante intensos, especialmente pela casa cheia.

Segundo ela, é impossível desafio colocar todos na mesma mesa para o Dia de Ação de Graças, por exemplo, mas eles sempre buscam soluções para acomodar todos.

O bebê de Chistine é o 100º bisneto de Margerite, que foi nomeado de Koller, em homenagem ao bisavô. A criança recebeu William como o nome do meio.

“Meu marido gostou do nome Kole”, disse a jovem mãe. “Foi muito natural nomeá-lo Koller e William como o nome do meio. E então podemos sempre chamá-lo de Kole, se quisermos.

Marguerite vai comemorar seu 100º aniversário em alguns meses e afirmou que sua família é seu maior presente. “Não tenho dúvidas de como sou sortuda.”

 

Fonte: UOL Internacional
Foto: Divulgação/Christine Stokes Balster