As conversas com a Coreia do Norte não devem ter fins políticos, mas sim contribuir para a paz, disse o presidente sul-coreano, Yoon Suk-yeol, nesta quarta-feira, poucas horas após o teste norte-coreano de dois mísseis de cruzeiro no mar.

Falando em uma ampla entrevista coletiva para marcar seus primeiros 100 dias no cargo, Yoon não fez menção aos lançamentos, que só foram divulgados publicamente mais tarde pelos militares sul-coreanos.

Yoon repetiu sua disposição de fornecer ajuda econômica em fases à Coreia do Norte se ela acabar com o desenvolvimento de armas nucleares e começar a desnuclearização, observando que ele tem pedido um diálogo com Pyongyang desde sua campanha.

“Qualquer diálogo entre os líderes do Sul e do Norte, ou negociações entre autoridades de nível de trabalho, não devem ser um espetáculo político, mas contribuir para estabelecer uma paz substantiva na península coreana e no nordeste da Ásia”, disse ele.

Os comentários foram uma aparente crítica às cúpulas envolvendo seu antecessor Moon Jae-in, o líder norte-coreano Kim Jong-un e o então presidente dos Estados Unidos Donald Trump.

Apesar dessas reuniões, as negociações de desnuclearização pararam em 2019 e a Coreia do Norte disse que não abrirá mão de sua autodefesa, embora tenha pedido o fim das sanções.

Os lançamentos da Coreia do Norte na quarta-feira foram os primeiros relatados em meses e ocorrem um dia depois que a Coreia do Sul e os Estados Unidos iniciaram exercícios conjuntos preliminares antes do reinício do treinamento de campo interrompido sob Moon.

 

Fonte: UOL Internacional
Foto: Anthony Wallace/AFP