A cidade de Vigia sedia, nesta sexta e sábado, 1 e  2, o  I Seminário de Educação  Patrimonial do município, na sede da Sociedade Cinco de Agosto. O projeto, idealizado  pela Secretaria Municipal de Cultura, integra o programa “Preamar do Patrimônio” realizado por meio do Departamento do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural (DPHAC) e do  Arquivo Público do Estado  (APEP).

Até o  fim do  ano, o DPHAC promoverá mais um seminário para fomentar a preservação de patrimônios culturais no interior do Estado. O primeiro ocorreu dia 17, no  município  de Bragança; depois de Vigia, chegará a vez de Santarém, no mês de novembro

A  programação terá duas mesas redondas, uma sobre “O  Patrimônio Cultural de Vigia: Inventário Cultural e Levantamento Preliminar dos Bens Culturais e Naturais”, e outra sobre “História e Literatura em Vigia de Nazaré”.

Já a exposição “Memória  Renovada – A  Vigia nos documentos do Arquivo Público do  Estado” apresentará reproduções ampliadas de documentos dos séculos XVIII e XIX depositados no  Arquivo  Público, em  Belém, e no acervo da Sociedade Cinco de Agosto, que abrigará a exposição.

Os documentos, inéditos para o público, tratam exclusivamente de fatos administrativos, ocorridos na Vila de Vigia de Igrejas e outros patrimônios históricos e culturais de Vigia; inclusive, sobre a Cabanagem, que  em  23 de  julho de 1835 deixou dezenas de mortos, entre eles Pedro Antônio Raiol, pai de Domingos Antônio Raiol, o Barão de Guajará, que tinha cinco anos de idade quando os cabanos ocuparam a Vila da Vigia de Nazaré.

“É  uma ação concreta que  justifica o orgulho da comunidade local pela sua história e cultura. Enfim, algo conceitual, e ao mesmo tempo vivo, que amplia o sentimento coletivo  de  pertencimento e apreço  por  essa à  história”,  diz o secretário municipal  de Cultura e  Turismo, Nélio Palheta.

Estão em andamentos os procedimentos administrativos para viabilizar as obras de restauro e reconstituição do Museu de Vigia, fechado em 2016. Os estudos de engenharia e arquitetura do novo museu estão prontos; um convênio da Prefeitura de Vigia e a Secretaria de Estado  de  Turismo  vai ser firmado para viabilizar a aplicação dos recursos obtidos com emendas parlamentares. A obra vai custar mais de um milhão de reais.

O seminário foi programado para iniciar na data em que a Sociedade Cinco de  Agosto completa 150 anos de fundação. A Sociedade Literária foi berço, no século  XVIII, de  intelectuais vigienses que  fizeram  nome  no cenário cultural do  Pará, ente eles Vilhena Alves  e  o  próprio Barão  de  Guajará – fundadores da Academia Paraense  de  Letras  e  do  Instituto  Histórico e Geográfico do Pará.

 

Fonte: O Liberal
Foto: Reprodução