Com a ida de André Marques para o No Limite, a Globo escolheu Márcio Garcia para assumir o The Voice Kids e isso gerou insatisfação de um grupo de artistas. O desagrado não é em relação ao talento do apresentador, mas o seu posicionamento político, mais próximo ao espectro da direita.

Porém, a emissora levou em consideração apenas questões técnicas e financeiras para definir o comunicador como responsável pela próxima temporada do reality show musical. Conforme apurou o NaTelinha, o anúncio de Márcio Garcia no The Voice Kids pegou muita gente de surpresa, já que a expectativa era que André continuasse na produção e o No Limite fosse parar na mão de Marcos Mion.

Mas, após o choque, conversas sobre a escolha do também ator não foram das melhores. Um grupo de artistas contratados – e também quem tem portas abertas na emissora, entretanto, com contrato por obra – não gostou da decisão. Na visão desses profissionais, não é positivo ter à frente do reality show uma pessoa que foi favorável ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e demonstrou simpatia pela candidatura de Jair Bolsonaro, em 2018, inclusive com vídeo com troca de carinho entre o apresentador e o atual governante.

Durante as reclamações em alguns grupos de WhatsApp, foi levantada a hipótese de enviar um comunicado, assinado por apresentadores e atores, pedindo que a Globo repensasse a decisão de manter Márcio na atração.  Mas logo essa ideia foi abortada, pois uma atriz conversou com um diretor da casa e ele deixou claro que a empresa não iria ceder por causa de motivação política.

A explicação do executivo era que Garcia não feriu a honra de ninguém e apenas expressou suas opiniões fora do local de trabalho. O diretor ainda ressaltou que a escolha do apresentador aconteceu por questões artísticas e financeiras.

Fonte: UOL
Foto: Reprodução

.