Um pai em luto gerou um escândalo na Rússia quando percebeu que seus “gêmeos recém-nascidos mortos” foram substituídos por bonecas no velório. De início, Daud Daudov fez acusou os médicos de fingir a morte dos bebês para traficá-los. Contudo, a investigação policial sobre o caso apontou hoje que a mulher dele nem sequer deu à luz, e ela confessou que fingiu a gravidez e forjou o velório.

Ao descobrir que os supostos filhos haviam sido trocados por bonecas, Daudov fez um vídeo acusando os médicos da maternidade de os trocar para vendê-los a adoção. Segundo ele, a causa da falsa morte seria uma hemorragia cerebral, ocorrida na terça-feira (9), e, como o islã proíbe a abertura dos corpos das crianças, não houve autópsia.

No vídeo, ele disse que os médicos disseram a sua esposa que orariam pelos meninos, os lavariam e os cobririam com roupas de sepultura. Daudov ainda contou que quando a mulher dele teve alta do hospital, ela recebeu os dois bebês mortos e foi colocada em um táxi para ir para casa.

Contudo, Daudov não quis desembrulhar as mortalhas até o enterro no cemitério da família dele, na região de Daguestão, onde enfim descobriu que carregava bonecas e não cadáveres desde que saíra do hospital.

Na esperança de que os filhos poderiam estar “vivos”, o homem de 33 anos levou a sua versão do caso para a polícia, que abriu as investigações sobre a “troca” dos bebês.

As circunstâncias ficaram ainda mais suspeitas quando uma porta-voz do hospital disse que checou todos os registros da maternidade e que a mulher de Daudov não havia dado entrada no local.

Então, os policiais exigiram que a mãe dos supostos bebês passasse por um exame para comprovar que havia dado à luz. A resposta do exame foi negativo, e “mais tarde, a mulher confirmou por escrito que toda a história foi inventada”, conforme revelado pelo prefeito de Starvpool, Vladimir Vladimirov, para o site russo VK.

No depoimento entregue as autoridades, a mulher explica que seu primeiro teste de gravidez deu um falso positivo. “Eu vi como meu marido ficou feliz quando eu disse a ele que estava grávida. Eu não queria chateá-lo, e, portanto, decidi mentir para ele e para os nossos parentes, fingindo a gravidez”, escreveu.

“Eu enganei todos os meus parentes e meu marido. Lamento muitíssimo”, completou.

Não há informação se a mulher será autuada por algum crime, ou se o marido vai continuar com ela. Mas, ela espera que as pessoas que acusaram os médicos injustamente se desculpem.

 

Fonte: UOL
Foto: Reprodução/VK.com