Dada às necessidades de adequação física e considerando um planejamento de ordem médica, os clubes alegam que precisarão de cerca de 50 dias em uma espécie de inter-temporada, assim que for definido pelo retorno do futebol paraense. Uma reunião, realizada na última quarta-feira (20), entre Federação Paraense de Futebol, Governo do Pará e clubes, definiu que é preciso elaborar um plano.

Uma dos detalhamentos foi explicitado pelo presidente do Paysandu, Ricardo Gluck Paul. “No Campeonato Alemão, foram oito contusões (na rodade de retorno). Ou seja, tiramos os atletas de uma situação de risco (coronavírus) e se expõe a outra, que são as lesões. Diante disso, precisaremos, no mínimo, 30 dias de pré-temporada”, explicou. “Há a questão do retorno dos atletas a Belém. Ou seja, entre a decisão de voltar e de fato o primeiro jogo, estaremos falando de algo em torno de 50 dias. Estaríamos falando do dia 15 de julho”, informou o gestor bicolor, alegando que esse assunto também passaria por um informe oficial da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Gluck Paul, que já havia reiterado voto a favor do encerramento do Parazão, tocou no assunto novamente. Segundo ele, a reunião não tratou sobre a retomada do estadual 2020. “Participaram os clubes de Série C e D que são campeonato mais possíveis de acontecer. Digo possíveis pois não estão confirmados. Não foi para tomar uma decisão sobre o campeonato estadual. Nem se falou sobre campeonato estadual. Não foi pauta.

O Campeonato Paraense 2020 está pendente. Foi interrompido na oitava rodada. Ainda restam duas rodadas da fase classificatória, além de semifinais e finais. O Paysandu lidera a competição, seguido de Remo, Castanhal e Paragominas.

Fonte: O Liberal
Foto: Nilson Cortinhas